Rodrik (2013a) e Duarte e Restuccia (2010) demonstram que, com raras exceções, o processo de desenvolvimento pelo qual passaram os países hoje ricos foi marcado por um forte crescimento da indústria. Estes países atualmente têm suas economias baseadas fortemente no setor de serviços. A questão imediata que surge é: é possível se desenvolver com uma economia focada majoritariamente em serviços?

Outros textos contribuem para esta discussão, incluindo os que seguem:

Aragão, Maria Carolina M. P. (2013), Trajetórias Industriais: Uma Análise no Espaço Indústria. Dissertação de Mestrado em Economia, UnB

Arbache, J. (2012), Is Brazilian Manufacturing Losing its Drive?, Universidade de Brasília, Working Paper Series, https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2150684

ARBACHE, J. A inflação de serviços (post).

ARBACHE, J. Convergência ou divergência de renda? Desafios do desenvolvimento no Século XXI. 1a. Conferência de Lisboa, 4 dez. 2014.

ARBACHE, J. Em busca de atalhos (post).

ARBACHE, J. O Brasil e a importância econômica da indústria intensiva em conhecimento. ABPI. Propostas para a inovação e a propriedade intelectual, vol. 2, set. 2014.

Arbache, J. (2014), Dinâmica recente da conta de transações correntes e a conta de serviços. Revista Brasileira de Comércio Exterior, https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2443043

ARBACHE, J. Os serviços na Parceria Transpacífico (post).

ARBACHE, J. Por que serviços? in “Indústria e Desenvolvimento Produtivo no Brasil”, Orgs. N. Barbosa, N. Marconini. M.C. Pinheiro e L. Carvalho, São Paulo: Elsevier e FGV, 2015.

ARBACHE, J. Produtividade no setor de serviços. in “Produtividade no Brasil – Desempenho e Determinantes”, Orgs. F. De Negri e L.R. Cavalcante, Vol. II, Brasília: IPEA, 2015

ARBACHE, J. Serviços e competitividade industrial no Brasil. CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA – CNI (Org.). CNI, 2014.

ARBACHE, J. The contribution of services to manufacturing competitiveness. In “Innovation and Internationalization of services in Latin America”. Orgs. N. Mulder. COLEF, CEPAL & UNCTAD (no prelo).

ARBACHE, J; ARAGÃO, M.C. Infraestrutura e competitividade na indústria brasileira. CNI, nov. 2014.

ARBACHE, J.; ET. AL. El aporte de los servicios al desempeño del sector industrial en Costa Rica. Out. 2015.

ARBACHE, J.; MOREIRA, R. How can services improve producticity? The case of Brazil. Apresentação. REDLAS. 4th REDLAS Conference: Services, Natural Resources and Trade Patterns in Latin America. Mai. 2015.

Arbache, J; Rouzet, D, and Spinelli, F. (2016), The Role of Services for Economic Performance in Brazil, OECD, http://www.oecd-ilibrary.org/trade/the-role-of-services-for-economic-performance-in-brazil_5jlpl4nx0ptc-en?crawler=true

Arbache, J. (2017), Manufacturing, Services and the Productivity Gap, The Oxford Handbook of Brazilian Economy,https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2925421

Arbache, J. (2017), Pontes, ICTSD, Exportação de serviços: uma alternativa viável para os países em desenvolvimento? https://www.ictsd.org/bridges-news/pontes/news/exporta%C3%A7%C3%A3o-de-servi%C3%A7os-uma-alternativa-vi%C3%A1vel-para-os-pa%C3%ADses-em

Arbache, J. (2017), Puentes, ICTSD, Comoditización digital y desarrollo económico https://www.ictsd.org/bridges-news/puentes/news/comoditizaci%C3%B3n-digital-y-desarrollo-econ%C3%B3mico

BRUNELLI, A. Q. Demand for Services Rendered to Families in Brazil in the 2000’s: An Empirical Analysis of Consumer Patterns and Social Expansion. BACEN Working paper, n. 381. Mar. 2015.

DUARTE, M.; RESTUCCIA, D. Relative prices and sectoral productivity. Working Paper. Jan. 2015.

GONZALEZ, J. L.; MELICIANI, V.; SAVONA, M. When Linder meets Hirschman: inter-industry linkages and global value chains in business services. REDLAS. 4th REDLAS Conference: Services, Natural Resources and Trade Patterns in Latin America. Mai. 2015.

HAUSMANN, R.; HIDALGO, C. A., et al. The atlas of economic complexity: mapping paths to prosperity. The MIT Press. Cambridge e Londres. 2013.

Leão, Rafael da Silveira Soares (2016),  Reinterpretando a mudança estrutural dos EUA A conexão entre indústria e serviços,  Dissertação de Mestrado em Economia, UnB, http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/23412/1/2016_RafaeldaSilveiraSoaresLe%C3%A3o.pdf

MACHADO, ANAELY DA SILVA (2017), Serviços Empresariais e Inovação: uma abordagem para o caso brasileiro, Dissertação de Mestrado em Economia, UnB

MOREIRA, RAFAEL DE FARIAS COSTA (2015), DESCENTRALIZAÇÃO DA PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE NO BRASIL , Dissertação de Mestrado em Economia, UnB

OECD. Global value chains and trade in value-added: an initial assessment of the impact on jobs and productivity. Jun. 2016.

OECD. Perspectives on global development 2014 – boosting productivity to meet the middle-income challenge. 2014.

OECD. Services and performance of the Brazilian economy: analysis and policy options. (no prelo).

RODRIK, D. The past, present and future of economic growth. Working Paper. Global Citizen Foundation. jun. 2013a.

RODRIK, D. Unconditional convergence in manufacturing. The Quartely Journal of Economics, v. 128, n. 1, p. 165-204. 2013b.

RODRIK, D. Premature deindustrialization. NBER Working Paper, n. 20935. Fev. 2015.

UNITED NATIONS. Manual on statistics of international trade in services 2010. Genebra, Luxemburgo, Madri, Nova Iorque, Paris, Washington, D.C., 2012 

UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT – UNCTAD. World Investiment Report 2013 – Global value chains: investiment and trade for development. Nações Unidas. Nova Iorque e Genebra, 2013.